Eclâmpsia na Gravidez

Publicado em 8 de agosto de 2019 por

A eclâmpsia é uma complicação grave da pré-eclâmpsia. É uma condição rara, mas grave, em que a pressão alta resulta em convulsões durante a gravidez. Convulsões são períodos de atividade cerebral perturbada que podem causar episódios de olhar fixo, diminuição do estado de alerta e convulsões (tremores violentos). A eclâmpsia afeta cerca de 1 em cada 200 mulheres com pré-eclâmpsia. Você pode desenvolver eclâmpsia mesmo se não tiver um histórico de convulsões.

Quais são os sintomas da eclâmpsia?

Como a pré-eclâmpsia pode levar à eclâmpsia, você pode ter sintomas de ambas as condições. No entanto, alguns destes sintomas podem ser causados ​​por outras condições, como doença renal ou diabetes. É importante informar seu médico sobre quaisquer condições que você tenha, para que possam ser descartadas outras possíveis causas.

A seguir estão sintomas comuns de pré-eclâmpsia:

  1. pressão arterial elevada
  2. inchaço no rosto ou nas mãos
  3. dores de cabeça
  4. ganho de peso excessivo
  5. náusea e vomito
  6. problemas de visão, incluindo episódios com perda de visão ou visão embaçada
  7. dificuldade em urinar
  8. dor abdominal, especialmente no abdome superior direito

O que causa a eclâmpsia?
A eclâmpsia geralmente segue a pré-eclâmpsia, que é caracterizada por alta pressão sanguínea que ocorre na gravidez e, raramente, no pós-parto.

Não se sabe ao certo o que causa a pré-eclâmpsia, mas acredita-se que ela resulte da formação e função anormais da placenta. A pré-eclâmpsia é quando a pressão arterial, ou a força do sangue contra as paredes das artérias, fica alta o suficiente para danificar as artérias e outros vasos sanguíneos. Danos nas artérias podem restringir o fluxo sanguíneo. Pode produzir inchaço nos vasos sanguíneos do cérebro e no seu bebê em crescimento.

Proteinúria
A pré-eclâmpsia comumente afeta a função renal. Proteína na sua urina, também conhecida como proteinúria, é um sinal comum da doença.  Normalmente, os rins filtram resíduos do sangue e criam urina a partir desses resíduos. No entanto, os rins tentam reter nutrientes no sangue, como proteínas, para redistribuição ao seu corpo. Se os filtros dos rins, chamados glomérulos, estiverem danificados, a proteína pode vazar através deles e excretar na urina.

Pré-eclâmpsia e eclâmpsia afetam a placenta, que é o órgão que fornece oxigênio e nutrientes do sangue da mãe para o feto. Quando a pressão arterial elevada reduz o fluxo sanguíneo através dos vasos, a placenta pode não funcionar adequadamente. Isso pode resultar em seu bebê nascer com baixo peso ao nascer ou outros problemas de saúde.

Quais são os tratamentos para a eclâmpsia?
O nascimento do bebê e retirada da placenta é o tratamento recomendado para pré-eclâmpsia e eclâmpsia. O seu médico irá considerar a gravidade da doença e a maturidade do seu bebê para recomendar o momento do nascimento.

Se o seu médico diagnosticar você com pré-eclâmpsia leve, ele pode monitorar sua condição e tratar você com medicação para evitar que ela se transforme em eclâmpsia. Medicamentos e monitoramento ajudarão a manter a pressão sanguínea dentro de uma faixa mais segura até que o bebê esteja maduro o suficiente para o parto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *