Evacuar na sala de parto: Sabrina ajudou a quebrar tabu ao relatar sua experiência

Publicado em 4 de junho de 2019 por

O site Vix fez uma matéria e publicou um vídeo do projeto Mães de Verdade onde a apresentadora Sabrina Sato conta de forma sincera este momento (evacuar durante o trabalho de parto), ação mais comum do que parece, mas pouco falada e o Dr. Alberto Guimarães, explicou ao portal porque isso ocorre.

A fala de Sabrina, por sua vez, ajuda a desmitificar o fato de que, conforme expõe o obstetra, a maioria das mulheres evacua no parto – e por diversas razões. Em primeiro lugar, conforme o processo começa, há a liberação de uma carga hormonal que, apesar de estar ligada com o nascimento do bebê, também influencia o funcionamento do intestino.

Conforme explica o médico, a vontade de ir ao banheiro é inclusive um indicativo de que o trabalho de parto vai começar, e respeitar essa necessidade do corpo pode até evitar a evacuação durante o parto em si. Ainda sob essas circunstâncias, porém, é bem comum que a mulher evacue enquanto dá à luz, e o motivo para isso é mais “mecânico” do que fisiológico.

“O intestino fica atrás do canal vaginal. Quando o bebê está passando, ele empurra toda essa região. É por isso que enquanto a cabeça passa, a mulher sente uma sensação como se estivesse evacuando”, explica o médico, ressaltando, inclusive, que tomar medidas como não se alimentar ou fazer uma lavagem intestinal antes do parto para evitar esses “acidentes” não são uma boa ideia.

Segundo ele, enquanto deixar de comer pode fazer com que a mulher não tenha a energia necessária para enfrentar o intenso processo do parto, fazer uma lavagem é algo que coloca a mulher grávida em uma posição constrangedora sem necessidades, além da possibilidade de as fezes ficarem ainda mais líquidas, facilitando a saída delas durante o nascimento do filho.

O obstetra reforça ainda que, nesse momento, o ideal é não tentar controlar a vontade de evacuar justamente porque isso pode atrapalhar o nascimento. “O parto é entrega. Se a mulher sente qualquer sensação semelhante à de evacuar e trava, ela está também travando o canal vaginal e dificultando a saída do bebê”, esclarece ele, lembrando também que as fezes não apresentam perigo ao bebê.

Segundo Alberto, na maioria das vezes as fezes não entram em contato com o bebê porque a vagina e o ânus estão em locais diferentes e a equipe normalmente já faz a higiene de maneira rápida. Caso aconteça, porém, ele afirma que não há problema algum. “As bactérias eventualmente nocivas das fezes da mulher já estimularam a produção de anticorpos que já foram, ainda na gestação, passados para o bebê”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *